Sábado, 24 de Fevereiro de 2007

Coincidência

Não foi por mera coincidência que te foste, disso tenho eu a certeza! Poucas são as certezas que me restam, sou apenas uma saudade incondicional, que dela sobrevive e procura as certas incertezas.
Também não foi coincidência o facto de me ter tornado assim, foi apenas uma consequência do que me fizeste.
Vejo o breve fim desta saudade incondicional e desta minha criatividade para te escrever…Escrever e desabafar têm sido os meios para atingir o fim…
Não vai ser a última vez que te escrevo, prometo-te, mas em outrora mais feliz e breve ocasião sentirás uma nova pessoa, ou não?! Talvez sentirás aquela que eu era e que sem ser por mera coincidência mudou-se completamente.
Todo o meu ser está contaminado, a minha mente, dessa já nem vale a pena falar!
As palavras que saem das pessoas que, se eu lhes faltasse sentiriam a mesma saudade, são determinadoras, revolucionárias de qualquer mente, poderosas, sossegadoras de um sofrimento silencioso, e predominam de uma forma estrondosa no pensar..
 Acho que devo-lhes muito, têm sido fantasticamente compreensíveis e eu adoro-as incondicionalmente! Obrigada por tudo!
 
sinto-me: mais feliz
música: Flutuo
publicado por Afonsinetes às 19:14
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2007

Não interessa ...

Não interessa o que sou, não interessa o que faço, não interessa o que quero, não interessa como me sinto, e também não interessa a forma como eu gostaria de me sentir…

Nada interessa… O que realmente interessa são as minhas excelentes notas, é a minha obrigação como filha, como irmã, como amiga, como estudante, como colega…

Fazem da minha felicidade um dever, uma obrigação…porque tenho uma família, porque tenho todos os bens essenciais, possíveis e imaginários, porque sou amada, porque tenho amigos, e por mais uma infinidade de razões…

Na realidade, estou rodeada de felizes razões infelizes que por mais que eu tente não consigo retirar delas uma força interior que me faça esquecer todos os problemas…

No fundo, sinto só solidão, ela domina-me… chega a dominar-me tanto que as pessoas que mais amo deixam de significar para mim, porque de tantas que amo só preciso de uma…essa sim! Dava-me razões de sobra para sobreviver…

Não me peçam para escrever textos mais alegres quando isso não acontece.

A minha mente está afectada com o vírus e o “otherplaceofmymind” também, pelos vistos…

 

 

publicado por Afonsinetes às 19:08
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Terça-feira, 13 de Fevereiro de 2007

Como apagar uma lágrima?

Não tem sido fácil encontrar um rumo, o barco ainda navega pelo alto mar da desilusão, esperando um dia ver terra firme e poder descarregar todo o ódio acumulado...
Um lágrima escorrega-me pela cara, sinto-a percorrer-me, imagino como seria óptimo se a lágrima um dia secasse, e eu, pudesse algum dia sentir o fim da dor tão repentinamente como o trajecto da lágrima.
Sinto o  seu sabor salgado na boca, sossega-me, respiro fundo, penso, será que irei conseguir fazer desta lágria a última?
Respondo, instintivamente, sim...e inconscientemente lembro-me das coisas que me fazem feliz, para desta forma esquecer a única coisa que em muitas outras falhou...
Tenho vozes na minha cabeça, vozes de quem me ama e me diz para continuar... Dizem-me que as coisas felizes da minha vida ganham vantagem a uma infeliz e isso é o mais importante!
Só com outras felicidades que dia após dia, me dão razão para viver, poderei eu apagar de vez estas infelizes lágrimas...
 
Afonsinetes (um pouco mais feliz, obrigada Tibeu)
publicado por Afonsinetes às 19:22
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007

Quando é que deixaremos de navegar no mesmo mar?

 
Estou a navegar num mar profundo de desilusão, saudade, tristeza e infelicidade que parece não ter mais fim.
Questões são muitas, algumas pairam durante longos períodos, outras são descartáveis, por vezes também repetitivas, pois por desaparecerem tão repentinamente como aparecem, são poucas as vezes que me recordo delas e inconscientemente acabo por me questionar exactamente do mesmo que fiz há uns dias atrás. Todas elas têm algo em comum, nunca obtenho resposta, por mais que tente, acabam sempre todas da mesma maneira, com um ponto de interrogação.
Quanto às perguntas que ficam longos períodos na memória, só o tempo me dará uma resposta, eu é que não tenho tanto tempo assim!
Por quanto mais tempo estarei eu a navegar? Olho para o relógio vejo os segundos passar e quando sucede mais um segundo, penso, ainda não foi este segundo o fim do meu sofrimento…
Ainda agora começou, já só vejo o fim…
Recebi uma carta tua, agora estou mais certa de que o fim está longe…
Não me trouxeste nada de novo, mas continuam a ser más notícias.
Sentir que não estou só neste mar, é angustiante…
Quando é que deixaremos de navegar no mesmo mar?
 
publicado por Afonsinetes às 18:46
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Sábado, 10 de Fevereiro de 2007

Mais uma lágrima, mais uma esperança...

Penso em ti com a mesma fatalidade de que respiro, é angustiante.

Ainda mais angustiante é o sorriso verdadeiramente falso que tenho de fingir para eu própria me convencer que estou bem. Para fingir a mim e aos outros, que me rodeiam e tentam acalmar-me desta solidão, pensando serem eficazes na minha recuperação, e eu tenho de lhes dar essa felicidade...

Se ao menos conseguisse ver-te feliz? Sentir a minha tristeza e a tua é um estado de completo esgotamento...

Quando é que isto vai parar?

Quando chegar a um ponto que já nem a minha mente me consegue salvar?!

O que eu quero?

Quero que voltes, quero o pasado, não quero a mudança, quero só a felicidade!

Será pedir de mais?!

Todos os dias lágrimas esperam pelo seu rebentar, mas há algo dentro de mim que ainda me consegue controlar...espero que me consiga por muitos mais dias...

Afonsinetes (com um pouco de sofrimento e de imaginação lá vou conseguindo preencher o blog)

 

sinto-me:
publicado por Afonsinetes às 19:15
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quarta-feira, 7 de Fevereiro de 2007

Não posso exigir que voltes

 
Abro a janela, olho para o céu, vejo a tua cara imunda nas nuvens, sorris e tentas dizer-me algo…
Porque sorris? Não me respondes, sinto o vento bater-me na cara como se fosse uma resposta à minha pergunta que nunca chegou a sair friamente dos meus lábios…Tento percebê-lo mas não consigo e sinto-me completamente inútil.
O meu sangue percorre-me, o meu pensamento não pára, cada vez mais rápido e tu continuas lá sorrindo para mim…
Se eu pudesse sentir-te, cheirar-te, deliciar-te com as minhas palavras tornaria-me na felicidade, mudaria o minha entidade completa de tristeza para ti, felicidade, que percorres-me o exterior tentando entrar…Mas tu sabes que a entrada esta inacessível tu até calculas o meu próximo passo, mas tinhas esperança! Também sabias que não ia resultar…Continuaste lutando, primeiro chamaste a saudade, só fez piorar a situação, depois chamaste a compaixão, mas ela não percebia o que sentia, depois chamaste a esperança mas ela vai precisar do tempo para me recuperar e por fim talvez chamarás alguém que me faça sentir aquela adrenalina que tu, agora estando sorrindo para mim, me fazias sentir…
Não posso exigir que voltes…
 
 
 
Afonsinetes
 
sinto-me: com uma imaginação mto fertil
publicado por Afonsinetes às 18:01
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2007

Saudade

De tanto te lembrar fico, por vezes, num estado completo de amnésia e por mais que tente recordar-te virão sempre memórias redundantes. É triste quando de dentro de mim procuro algo de ti e não encontro...mas a memória não cura a saudade, apenas alimenta-a...porque nos minutos que não penso em ti, não sinto a saudade a tocar-me, sinto-a longe...
Bem, isso é o que eu tento sempre fazer, afastar-te da minha cabeça, mas é inevitável, porém quando o consigo fico por momentos esquecida de todo este sofrimento, é como uma anestesia...e são momentos bem melhores!
O precisar de ti ,dia após dia, é angustiante...
O teu regresso tornou-se num desejo, numa obsessão, num objectivo utópico a cumprir...
Alguém me diz:
"É só saudade que sentes?! Oh isso passará.." Será? Será que o tempo apagará tudo o que sinto por ti?
Poderá com o tempo, o que sentia deixar de ser tão nítido?!...Talvez, infelizmente.
E agora...É só saudade que sentes? SÓ?!
A saudade, por si só, nunca irá ser um só...
 

 

sinto-me: ...criativa
música: "Mama" my chemical romance
tags:
publicado por Afonsinetes às 16:55
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

=
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

=

=

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

=

=< Consider me a satelite fo...

=< Libera-me

=< Hoje...

=< Complicações derivadas da...

=< Plenitude

=< Purgatório de passagem

=< A minha estrela

=< "Qualquer coisa, porque à...

=< Momentos, tempo e outras ...

=< "Duas Cabeças Pensam Melh...

=

=< Maio 2008

=< Fevereiro 2008

=< Janeiro 2008

=< Novembro 2007

=< Outubro 2007

=< Setembro 2007

=< Agosto 2007

=< Julho 2007

=< Junho 2007

=< Maio 2007

=< Abril 2007

=< Março 2007

=< Fevereiro 2007

=< Janeiro 2007

=< Dezembro 2006

=< Outubro 2006

=< Setembro 2006

=< Agosto 2006

=< Julho 2006

=< Junho 2006

=

=< todas as tags

=

=

=< participe neste blog

blogs SAPO

=