Terça-feira, 1 de Janeiro de 2008

Complicações derivadas da questão

Está tudo estagnado. Há muito tempo que me tinha apercebido que não iria haver futuro amanhã. Pelo menos, o verdadeiro significado da palavra “futuro” não é uma continuação de o dia de ontem, não é uma repetição um tanto pouco diferente.

Entrei num novo ano. Tenho a noção de que em trezentos e sessenta e seis dias, alguns desses serão momentos inesquecíveis. Mas eu não procuro meros momentos, muito menos que marquem pela negativa, apenas quero encontrar-me, neste mundo vasto e confuso.

 

Desejo um papel importante nesta vida insignificante, quero a vida eterna embora hajam dias em que não me apetece vivê-la.

A verdade é que eu amo a vida, melhor do que qualquer outro, mas não a minha. A verdade é que eu amo a vida que gostaria de ter e que penso que alguém está a tê-la por mim…

Sinceramente, gostaria de encontrar algo diferente em mim, diferente de todos os seres que me assemelham, mas, para meu desconsolo, até isso é-nos comum. Chamem-me egocêntrica, débil, insana…ou simplesmente, humana! Não me importo com o que me chamarem, afinal a minha estadia por cá, não é eterna.

E nada é eterno, nem sequer um “para sempre até que a morte nos separe” é, porque a vida é injusta. E, porque o Homem é um insatisfeito.

 

A cronologia da minha vida perdeu-se nas curvas. O que apenas deveria aparecer-me só daqui a uns anos, quando já nada interferisse com o livre-arbítrio e com a natureza dos acontecimentos, apareceu-me hoje, ou há uns meses e ainda continua. Como poderei eu segurar isto tudo, até “daqui a uns anos”?! Não poderei, essa seria a resposta lógica. Mas o pensamento mais breve e talvez, o melhor de todos, seria:

“Porque hei-de me preocupar com todos estes assuntos se vou morrer e ser esquecida?”

 

E, agora, a maior crueldade de todas – Como posso viver “o momento” com o medo a correr-me nas veias? E com tantos obstáculos?! Chamar-se-á, a isso, viver?!

O que quer que chamem a isso, é irrelevante quando ontem te senti, e me aqueceste. Quando bebi o champanhe de um só gole e pensei nele, quando sorri porque ouvi a sua voz gravada na minha memória…

 

Estou repleta de coisas dele…nossas, quero eu dizer…Já me habituei aos ornatos, que ele encaixou na minha silhueta pobre que cisma em valorizar. Estão-me cravados na pele, na alma e nos outros adornos próximos de mim.

O amor misturou-se por fim. E fico, então, onde sempre estive, pairada sobre o tempo a tentar adivinhar o sabor final desta nobre solução aquosa..

Amo-te.

 

Ps: Devo ter-me inspirado nuns quantos textos que li, ultimamente ando sem inspiração.

publicado por Afonsinetes às 19:09
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De mímica a 1 de Janeiro de 2008 às 22:14
Gostei muito do texto amiga! E ainda dizes que estavas sem inspiração... imagina se a tivesses... Deixa estar, que eu estou bem pior...
Eu compreendo-te perfeitamente, conheço os teus dramas, os teus medos, as tuas inseguranças, as tuas fraquezas, as coisas que te fazem feliz...
Olha vou dar-te este exemplo: Carpe Diem! Vive a vida como se fosse o último e fica sabendo que o maior arrependimento é das coisas que não se fizeram, por isso luta por essa vida de sonho.
Pois a vida é demasiado curta e quando estivermos mesmo à beirinha da morte, isto é, se estivermos conscientes que iremos morrer (pois há quem morra de repente, sem ninguém contar com isso), é que iremos ver que desperdiçamos demasiado a vida e demos importância acrescida a coisas fúteis e esquecemo-nos do que realmente é importante como a amizade e o amor.
Sei que estou a ser hipócrita, pois eu não faço nada disto e estou na mesma situação que tu. Imagino e sonho com uma vida esplendorosa que nunca irei ter.
Mas é assim: Eu estarei aí para o que der e vier, para os bons e maus momentos. Podes contar sempre comigo. Apesar de estarmos geograficamente muito afastadas, eu estarei aí, ao pé de ti. Basta chamares por mim.
Adoro-te amiga! E feliz 2008, que tu, mais que ninguém mereces...
De TiBéu ( Isa) a 3 de Janeiro de 2008 às 19:07
E aqui estou eu, até pareço uma sombra. Tantos medos, tantas coisas por viver, vai em frente e luta por aquilo que queres, vais conseguir, não podes crer tudo de uma vez, vai devagarinho e chegarás. Não és sómente tu a teres todos esses problemas, todos os temos, uns de uma forma outros de outra, porque ficar com medo????
Como tu dizes morremos e somos esquecidos, por isso amiga viva um dia de cada vez e o melhor que poderes, esse não se repete e o outro não será igual.
Tive um clik que tinhas escrito algo.
Não vou maçar mais com a minha lenga, lenga. e tu ai a dizeres, mas que coisa só me dão na cabeça hehehe
fica bem e quero para ti a maior felicidade do mundo e que o 2008 traga tudo que desejares. Grande bj

Comentar post

=
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

=

=

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

=

=< Consider me a satelite fo...

=< Libera-me

=< Hoje...

=< Complicações derivadas da...

=< Plenitude

=< Purgatório de passagem

=< A minha estrela

=< "Qualquer coisa, porque à...

=< Momentos, tempo e outras ...

=< "Duas Cabeças Pensam Melh...

=

=< Maio 2008

=< Fevereiro 2008

=< Janeiro 2008

=< Novembro 2007

=< Outubro 2007

=< Setembro 2007

=< Agosto 2007

=< Julho 2007

=< Junho 2007

=< Maio 2007

=< Abril 2007

=< Março 2007

=< Fevereiro 2007

=< Janeiro 2007

=< Dezembro 2006

=< Outubro 2006

=< Setembro 2006

=< Agosto 2006

=< Julho 2006

=< Junho 2006

=

=< todas as tags

=

=

=< participe neste blog

Visitas:

blogs SAPO

=