Domingo, 1 de Abril de 2007

"Para a minha irmã" -Jody Picoult

(...) Eu nasci para um fim muito específico. Nao fui o resultado de uma garrafa de vinho barato, ou de uma lua cheia, ou de um entusiasmo momentâneo. Nasci porque um cientista conseguiu ligar os óvulos da minha mae e os espermatozóides do meu pai para criar uma combinação específica de material genético precioso. De facto, quando o Jesse(irmão da narradora) me contou como é que se faziam os bebés e eu, grande céptica, decidi perguntar aos meus pais a verdade, ouvi aquilo que não queria. Eles fizeram-me sentar e contaram-me todas as coisas habituais, é claro-mas também explicaram que me tinham escolhido especificamente a mim quando era um pequeno embrião, porque eu poderia salvar a minha irmã Kate. A minha mãe fez questão de me dizer que ainda gostava mais de mim porque sabia exactamente o que ia esperar.

No entanto, fez-me pensar no que teria acontecido se a minha irmã tivesse sido saudável. Se calhar ainda estaria a flutuar no céu ou onde quer que fosse, à espera de me ligar a um corpo para passar algum tempo na Terra. De certeza que não faria parte desta família. Vêem, ao contrário do resto do mundo livre, eu não cheguei aqui acidentalmente. E se os nossos pais nos tiveram por uma razão, então é bom que essa razão exista. Porque assim que ela desaparecer, nós desaparecemos também.

(...) A  verdade é que eu nunca cheguei a ser uma criança. Para ser sincera nem a Kate nem o Jesse foram. Acho que talvez o meu irmão tenha tido o seu lugar ao sol durante os quatro anos de vida antes de ter sido diagnosticada a doença de Kate mas, desde essa altura, temos estado demasiado ocupados a olhar para trás para corrermos em frente e crescermos. Sabem, a maior parte das crianças pequenas pensa que é como as personagens dos desenhos animados-se uma bigorna lhe cair na cabeça, consegue sair do passeio e continuar a andar? Bom, eu nunca acreditei nisso. Como poderia aceditar, quando praticamente pusemos um lugar na mesa de jantar para a Morte?(...)"

 

 

in "Para a minha irmã" de Jody Picoult

 

publicado por Afonsinetes às 16:40
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Sr. Dr. Ricky a 1 de Abril de 2007 às 21:07
É uma situação difícil, mas a vida toda ela é difícil. Afina, algo tão precioso tinha de ter um preço bem caro a pagar... Mas essa, para além de ser triste, é uma história de coragem, uma história que devemos ter consciência e depois agradecer por nós não estarmos na sua situação!

Acho que as pessoas dão pouco valor à sua vida, queixam-se de coisas pequenas demais...pessoas têm depressões por ninharias...por favor, cresçam!

Beijocas =) ***
De Cöllyßry a 2 de Abril de 2007 às 19:40
Minha qurida, como vais...de férias...sumida ummmmmm, deixo meu presente de ano, pega meu award lá no olharIndiscreto, pega tamvem do

http://vitral.blogs.sapo.pt/

com carinho meu beijo

Comentar post

=
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

=

=

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

=

=< Consider me a satelite fo...

=< Libera-me

=< Hoje...

=< Complicações derivadas da...

=< Plenitude

=< Purgatório de passagem

=< A minha estrela

=< "Qualquer coisa, porque à...

=< Momentos, tempo e outras ...

=< "Duas Cabeças Pensam Melh...

=

=< Maio 2008

=< Fevereiro 2008

=< Janeiro 2008

=< Novembro 2007

=< Outubro 2007

=< Setembro 2007

=< Agosto 2007

=< Julho 2007

=< Junho 2007

=< Maio 2007

=< Abril 2007

=< Março 2007

=< Fevereiro 2007

=< Janeiro 2007

=< Dezembro 2006

=< Outubro 2006

=< Setembro 2006

=< Agosto 2006

=< Julho 2006

=< Junho 2006

=

=< todas as tags

=

=

=< participe neste blog

Visitas:

blogs SAPO

=